COMUNICADO - Aplicação de inseticidas no controle do Aedes aegypti

O estado de Santa Catarina vem passando por uma mudança no perfil epidemiológico da dengue, febre de chikungunya e zika vírus, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Diante desse cenário, medidas de controle integrado de vetores são de fundamental importância para o controle do mosquito. Entre as medidas, está o uso de inseticidas, que são empregados em diferentes fases do ciclo do mosquito. Em todas as situações, são utilizados os produtos fornecidos pelo Ministério da Saúde (MS), seguindo rigorosos padrões técnicos.

Diante da aplicação de produtos fornecidos pelo Ministério da Saúde na região Oeste do estado, utilizando equipamentos diferente daqueles recomendados, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) reforça a necessidade de que sejam seguidas as orientações técnicas para a aplicação dos produtos. Os critérios técnicos estabelecidos visam alcançar uma melhor eficácia da atividade, assim como a segurança dos técnicos envolvidos e da população. Importante destacar que os equipamentos utilizados na aplicação do inseticida a Ultra Baixo Volume (UBV) devem seguir as recomendações do Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde.

Além disso, o uso dos inseticidas é apenas uma das ações de controle vetorial, sendo o UBV utilizado apenas nos momentos de transmissão. A melhor estratégia continua sendo o Manejo Integrado de Vetores, dando prioridade às ações de eliminação de recipientes que possam acumular água, bem como adequação daqueles que não podem ser eliminados. A SES reforça a importância de orientar a população sobre essas medidas, especialmente em um momento em que muitos estão em suas residências em virtude da transmissão do novo coronavírus (COVID-19).


Topo