Boletim Epidemiológico nº 38/2021 Covid-19 (SARS-COV-2) - Dados atualizados em: 22/04/2021

Visualizar em PDF

Na SE 15 foram registrados 3.917 casos novos, em média 560 casos novos por dia. Após dois picos de casos, entre as SE 28 e 31 e as SE 46 e 50, um terceiro aumento, de magnitude expressiva, se iniciou na SE 05 de 2021. Observa-se uma queda no número de casos a partir da SE 10.

A média móvel começa a apresentar queda a partir da última semana de março, caindo de 5.000 casos diários para de 2.500 casos diários nas últimas semanas da série.
Na SE 15 a média foi de 47 óbitos novos por dia. Após dois picos de óbitos, entre as SE 29 e 35 e as SE 48 e 53, um terceiro aumento, de magnitude expressivamente superior as anteriores, se iniciou na SE 06 de 2021 causando o esgotamento dos leitos de UTI no estado.

Apesar do maior aumento de casos registrados tenha ocorrido nas SE 46 à 50 de 2020, os óbitos foram mais expressivos nos infectados na SE 05 de 2021. Mostrando a maior letalidade dos casos no último pico de infecção por Covid-19.

Os óbitos tem apresentado queda após a SE 12. A proporção de casos de COVID-19 foi maior no mês de novembro de 2020, no entanto os casos ocorridos em 2021 já somam 37% de todas as notificações desde o começo da pandemia.

O mês de março de 2021 teve a maior ocorrência de óbitos com 29,09% entre todos os registrados ao longo da pandemia.
A taxa de letalidade acumulada atingiu 1,46% em abril de 2021. O mês de março de 2021 encerrou com a taxa de letalidade de 3,1% e abril em 5,37% (abril com dados parciais).

A comorbidade mais frequente entre os óbitos é a doença cardiovascular presente em 47,5%. A Diabetes Mellitus tem a segunda maior frequência, presente em 31,5% dos óbitos. A presença de dispnéia, desconforto respiratório, saturação de oxigênio <95% e tosse foram os sintomas mais frequentes entre as pessoas que foram a óbito. 

Mais informações aqui.



Topo