Medidas de prevenção mantêm situação das meningites dentro do esperado em Santa Catarina

No Estado, não há surto da doença. Incidência está dentro da normalidade

 

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina mantém um sistema de monitoramento e alerta para todos os casos suspeitos de meningite em Santa Catarina. Considerando os dados registrados nos dois últimos anos, a incidência de meningites está dentro do esperado em Santa Catarina.

Em 2014 foram notificados 804 casos de meningites em geral. Desses, apenas 34 foram causados pelo meningococo (doença Meningocócica), dos quais seis (6) evoluíram para óbito (Joinville, Gravatal, Palhoça, Pescaria Brava, São José e Rio do Sul).

Em 2015, até o dia 17 de julho, foram notificados 322 casos de meningites em geral. Desses, apenas sete (7) foram de doença meningocócica, dos quais dois (2) evoluíram para óbito (Laguna e São José). Esse número, se comparado com o registro de 16 casos durante o mesmo período no ano passado, indica uma redução de 44%.

É importante informar que, em todos os casos, a Vigilância Epidemiológica dos municípios, em conjunto com a Vigilância Epidemiológica Estadual, tomaram as medidas adequadas e oportunas de prevenção e controle, evitando a ocorrência de surtos.

No Brasil, a meningite é considerada uma doença endêmica, com a ocorrência de casos ao longo do ano, havendo uma maior incidência no inverno. A maioria dos casos é de causa viral e autolimitada. Ou seja, apresenta boa evolução e tratamento dos sintomas. Já as meningites bacterianas podem trazer preocupação em relação à sua evolução e gravidade dos sintomas, principalmente as causadas por meningococo, hemófilos e estreptococo.


Atenção aos sintomas e medidas de prevenção

Há suspeita de meningite em pessoas que apresentem febre associada à dor de cabeça, dor ou rigidez de nuca e vômitos frequentes. Em crianças pequenas, esses sintomas podem apresentar-se como choro persistente, irritação, falta de apetite e “moleira inchada”. Na apresentação desses sintomas, deve-se procurar a unidade de saúde mais próxima.

As medidas de prevenção incluem medidas de higiene e vacinação. A vacinação é indicada para crianças menores de dois anos de idade (BCG, Vacina Meningocócica Conjugada C e a Pentavalente, conforme calendário Nacional de Vacinação).
Portanto, é de fundamental importância que os pais mantenham a vacinação das crianças em dia!
As vacinas estão disponíveis gratuitamente na rede pública de saúde.

Outras medidas de prevenção:

  • Manter todos os ambientes bem ventilados, se possível ensolarados, principalmente salas de aula, locais de trabalho e no transporte coletivo
  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão
  • Manter higiene rigorosa com utensílios domésticos
  • Evitar transitar com crianças em ambientes fechados e mal ventilados.

 

Jornalismo

Núcleo de Comunicação – DIVE
Secretaria de Estado da Saúde
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Fone: (48) 3664-7402


Topo