Sala Estadual de Situação sugere participação de todos os municípios catarinenses no controle ao mosquito Aedes aegypti

“Pedimos que todos os municípios catarinenses participem da mobilização, com ações intersetoriais para evitar a infestação do mosquito, mesmo aqueles que não tenham apresentado focos de Aedes aegypti”. A solicitação foi feita nesta segunda-feira, dia 22 de fevereiro, aos presidentes e secretários executivos das Associações de Municípios de Santa Catarina por João Fuck, porta-voz da Sala Estadual de Situação para o combate ao Aedes aegypti e coordenador do programa de controle da Dengue no Estado. O encontro ocorreu na sede da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), em Florianópolis, na 1ª Reunião do Colegiado.

Durante o encontro, João Fuck apresentou um panorama dos focos de Aedes aegypti em Santa Catarina e dos casos de dengue, febre de chikungunya e febre do zika vírus, enfatizando a preocupação em relação ao avanço das doenças no Estado. “Em 2014, tivemos 66 casos de dengue importados e apenas 3 autóctones, ou seja, com transmissão dentro do Estado. Em 2015, a situação se inverteu: foram 274 importados e 3.279 autóctones”, alertou. Neste ano, até o momento, já foram confirmados 56 casos importados e 81 autóctones. Em relação à febre de chikungunya, não houve casos confirmados em 2016. Quanto à febre do zika vírus, 5 casos foram confirmados, sendo todos importados.

O mapa aponta que foram identificados 1.807 focos este ano, em 94 municípios catarinenses. No ano passado foram 7.250 focos, em 118 municípios. Para intensificar as medidas de combate ao mosquito, o Estado elaborou um Plano de Ação, em janeiro deste ano, solicitando a criação de salas de situação municipais nos 28 municípios considerados infestados. Na última semana, a Sala Estadual de Situação estendeu a solicitação aos 29 municípios com risco de infestação.

Municípios infestados pelo mosquito Aedes aegypti: Anchieta, Balneário Camboriú, Chapecó, Cordilheira Alta, Coronel Freitas, Coronel Martins, Cunha Porã, Florianópolis, Guaraciaba, Guarujá do Sul, Itajaí, Itapema, Joinville, Maravilha, Nova Itaberaba, Novo Horizonte, Palmitos, Passo de Torres, Pinhalzinho, Planalto Alegre, Princesa, São Bernardino, São Lourenço do Oeste, São Miguel do Oeste, Serra Alta, União do Oeste, Xanxerê e Xaxim.

Municípios em risco de infestação pelo mosquito Aedes aegypti: Sombrio, Blumenau, Brusque, Canoinhas, Porto União, Cunha Porã, Nova Erechim, Concórdia, Criciúma, Palhoça, São José, Tijucas, Jaraguá do Sul, Bombinhas, Balneário Piçarras, Camboriú, Ilhota, Luís Alves, Navegantes, Penha, Porto Belo, Dionísio Cerqueira, Mondaí, Palma Sola, São Bento do Sul, Tubarão, Caçador, Ipuaçu e São Domingos.

Informações adicionais:
Letícia Wilson / Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406
www.dive.sc.gov.br


Topo