Vacinas contra hepatite B e a Dupla Adulto chegam a Santa Catarina

Para atendimento da demanda do mês de março, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC) iniciará, na próxima segunda-feira, a distribuição das vacinas recebidas essa semana pelo Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde.

Dentre elas, destaque para a vacina contra hepatite B, em falta desde outubro do ano passado. “Recebemos 58.400 doses desta vacina. No entanto, a média de consumo mensal é de 60 mil doses. Em função da demanda reprimida, acreditamos que a quantidade não será suficiente neste primeiro momento”, alerta a enfermeira Vanessa Vieira da Silva, responsável pela Gerência de Vigilância das Doenças Imunopreveníveis e Imunização da Dive/SC. Em relação à vacina Dupla Adulto, contra difteria e tétano, a situação é semelhante: foram enviadas 57.800 doses, enquanto a média de consumo mensal é de 80.000 doses. “Porém, desde setembro do ano passado não recebíamos essa vacina. Então, a quantidade também não deverá ser suficiente”, reforça Vanessa.

O Estado recebeu, ainda, 9.100 doses da vacina contra hepatite A rotina pediátrica, quantidade suficiente para atender a média mensal de consumo. Contudo, como o último envio de doses aos municípios ocorreu em agosto de 2015, essa remessa deverá ser insuficiente para a demanda do mês de março.

Foram também enviadas para Santa Catarina 20 mil doses da vacina DTP, contra difteria, tétano e coqueluche para crianças. Apesar de a cota mensal ser de 30 mil doses, a quantidade deverá atender a necessidade, pois não havia demanda reprimida no Estado, já que essa vacina estava sendo substituída pela pentavalente. Em relação à vacina Tetraviral, que protege as crianças contra Sarampo, Rubéola, Caxumba e Varicela (catapora), foram recebidas 9.000 doses, conforme a cota mensal. “Como houve distribuição dessa vacina no mês de fevereiro, esperamos redução da demanda reprimida”, comenta Vanessa. Da vacina contra a Raiva (VERO), foram enviadas ao Estado 2.500 doses, enquanto o consumo médio é de 2.000 doses/mês. De acordo com Vanessa, o Instituto Butantan ainda não informou se haverá regularização da entrega a partir deste mês.

Permanece em falta em Santa Catarina, devido à indisponibilidade de estoque em nível nacional, a vacina DTPa Crie. As vacinas dTpa reforço adulto (contra difteria, tétano e coqueluche para gestantes), e a vacina contra hepatite A CRIE, chegaram à CENADI (Central Nacional de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos) e devem ser encaminhadas ao estado durante o mês de março.

Informações adicionais:
Letícia Wilson / Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406
www.dive.sc.gov.br


Topo