Saúde convoca prefeitos da macrorregião Oeste para discutir medidas de controle do Aedes aegypti

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) de Santa Catarina realiza na próxima quinta-feira, 2 de fevereiro, um encontro que deverá contar com a participação de prefeitos e secretários municipais de saúde da macrorregião Oeste do estado. O evento acontecerá às 9h, no auditório da Prefeitura Municipal de Chapecó e contará com a presença do secretário da Saúde, Dr. Vicente Caropreso.

O objetivo do evento é discutir, reforçar e aprimorar estratégias de prevenção e enfrentamento à dengue, zika, chikungunya, que já vêm sendo desenvolvidas conjuntamente entre Governo e Prefeituras. Para Caropreso é preciso intensificar os cuidados para a eliminação dos focos do mosquito para diminuirmos o risco de novas epidemias. “Por isso, teremos essa grande mobilização no Oeste do estado, que concentrou em 2016 o maior número de casos e de municípios infestados. Estaremos reunidos com prefeitos e representantes das Secretarias Municipais de Saúde da região em Chapecó discutindo formas de mobilizar diversos órgãos, bem como envolver a população, para que todos assumam sua responsabilidade”, afirma.

De acordo com superintendente em Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde, Dr. Fábio Gaudenzi, é fundamental que todos os gestores municipais participem do encontro. “Esse é um momento de extrema importância para os municípios. Uma vez que serão apresentados dados sobre o panorama atual da dengue, zika e chikungunya em Santa Catarina”, afirma.

Na oportunidade também serão discutidas ações de combate ao mosquito Aedes aegypti. “A Dive/SC está prestando suporte técnico, supervisionando e assessorando os municípios, além de capacitar profissionais de saúde para melhorar os resultados das ações”, enfatiza, Eduardo Macário, diretor de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC).

Desde o dia 19 de dezembro de 2016 os exames de dengue também estão sendo realizados no Laboratório Central de Saúde Pública da Gerência Regional de Saúde de Chapecó (Lacen/Chapecó), de forma a agilizar o envio dos resultados dos exames para os 80 municípios da região Oeste e Extremo Oeste do estado.

O evento contará com a presença de gerentes regionais de Saúde, representantes do Ministério Público, além dos coordenadores do programa de combate à dengue em SC. Além das Agências de Desenvolvimento Regionais (ADR’s) de Chapecó, Quilombo, Palmitos, Maravilha, Itapiranga, São Miguel do Oeste, São Lourenço do Oeste e Dionísio Cerqueira e seus respectivos municípios.

 

Recursos para Santa Catarina

Os 295 municípios receberão um suporte de R$ 3,2 milhões do governo federal para qualificação das ações de combate ao mosquito em 2017. O apoio será dividido em duas parcelas, a primeira recebida em janeiro, de R$ 1,9 milhões. A outra, no segundo semestre, está vinculada à realização do LIRAa e monitoramento entomológico no valor de 1,3 milhões.

 

Panorama estadual

Nas duas primeiras semanas de 2017 já foram identificados 385 focos do mosquito Aedes aegypti em 60 municípios, dos quais 51 são considerados infestados.

Em relação às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, nas duas primeiras semanas de 2017 foram notificados 182 casos suspeitos de dengue em Santa Catarina, dos quais 54 foram descartados por apresentar resultado negativo e 128 casos suspeitos seguem em investigação. Sobre a febre do chikungunya, 35 casos foram notificados, sendo um caso confirmado (faltando identificar se é autóctone), quatro descartados e 30 estão em investigação. Já sobre o zika vírus, 7 casos foram notificados, e seguem em investigação. Esses dados foram divulgados no Boletim Epidemiológico n° 2 de 14 de janeiro 2017.


Topo