Campanha de Vacinação Contra Poliomielite e Sarampo é prorrogada até 12 de dezembro

 A Campanha de Vacinação Contra a Poliomielite e o Sarampo será prorrogada até o dia 12 de dezembro. Santa Catarina ainda não atingiu a meta de vacinar 95% do público-alvo para cada campanha. De acordo com informações da Superintendência de Vigilância em Saúde, por meio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE), foram vacinadas 241.542 crianças contra o sarampo, o que corresponde a uma cobertura de 72,4%. Para a pólio, a cobertura é de 73,9% - 279.130 crianças foram vacinadas.

 A gerente Vigilância das Doenças Imunopreveníveis e Imunização da DIVE, Vanessa Vieira da Silva, explica que as crianças só ficarão protegidas contra a paralisia infantil e o sarampo se tomarem a vacina. “Ainda temos crianças a vacinar e para isso pedimos aos pais ou responsáveis que procurem os postos de vacinação”, afirma a gerente.

 Devem ser imunizadas contra a poliomielite cerca de 377 mil crianças com idade entre seis meses e cinco anos incompletos (quatro anos, 11 meses e 29 dias), em Santa Catarina. Contra o sarampo, devem ser vacinadas 333.258 crianças com idade entre um ano e cinco anos incompletos (quatro anos, 11 meses e 29 dias).

A importância de vacinar contra a poliomielite

 A vacina oral contra a poliomielite (VOP) protege contra os três tipos de vírus da pólio, causador da paralisia infantil, e tem eficácia de 95%. Em 2014, até o dia 18 de novembro, foram registrados 291 casos de poliomielite no mundo, sendo 272 em países endêmicos e 19 em países não endêmicos. “No Brasil, não registramos casos da doença desde 1990. Por isso, é importante manter elevada a cobertura da vacinação na população-alvo em todos os municípios do Estado para evitarmos a reintrodução da doença”, ressalta a gerente.

Crianças também devem ser imunizadas contra o sarampo

 O objetivo da campanha de vacinação contra o sarampo é imunizar crianças menores de cinco anos que ainda não foram vacinadas e corrigir falhas na primeira aplicação da vacina, garantindo a manutenção do estado de eliminação da doença no país. No Brasil, foram reportados 598 casos de sarampo em 2013 e 2014, com maior concentração em Pernambuco e Ceará. No mundo, foram 125.978 registros do início deste ano até o dia 14 de agosto, com circulação endêmica em países da África, Ásia e Oceania.

 A vacina, que também protege contra a rubéola e a caxumba, é o único método seguro e preventivo contra o sarampo. Os principais sintomas da doença são febre, manchas vermelhas no corpo, tosse, conjuntivite e coriza. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar e falar.

Contraindicações das vacinas

 A vacina contra a poliomielite deve ser adiada em crianças portadoras de infecções agudas, com febre acima de 38°C. É contraindicada para crianças com hipersensibilidade aos antibióticos estreptomicina ou eritromicina, ou que tenham demonstrado alguma reação anterior à vacina e para crianças imunologicamente deficientes e/ou que estejam em contato hospitalar ou domiciliar com pessoa imunodeprimida. Já a vacina tríplice viral e tetra viral, que protege do sarampo, rubéola e caxumba, é contraindicada para crianças que apresentaram alergia grave à dose anterior ou que informem alergia à proteína do leite (essas crianças serão vacinadas em data posterior), a ser anunciada.

 


Topo