Santa Catarina registra mais de dois mil focos de Aedes aegypti em 2017

Nos dois primeiros meses do ano, Santa Catarina registrou 2.153 focos de Aedes aegypti, mosquito transmissor dengue, da febre de chikungunya e do zika vírus. Esses focos estão concentrados em 96 municípios catarinenses, sendo que 53 deles são considerados infestados, conforme aponta o Boletim Epidemiológico n0 05/2017, referente ao período de 1 de janeiro a 25 de fevereiro, divulgado nesta quinta-feira, dia 9, pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde (Dive/SC). A quantidade de focos é praticamente a mesma registrada no mesmo período do ano passado, quando foram identificados 2.310 focos, em 104 municípios.

“Apesar de não estarmos registrando casos de dengue, não podemos nos tranquilizar. Os dados confirmam que o mosquito está presente e as ações de eliminação de criadouros e de controle vetorial devem se manter constantes”, enfatiza Suzana Zeccer, gerente de vigilância de zoonoses da Dive/SC.

Uma importante ação foi a publicação do Decreto 1.079 de 01 de março de 2017 pelo Governo do Estado de Santa Catarina, instituindo comissões de articulação e monitoramento das ações de prevenção e eliminação de focos do Aedes aegypti no âmbito dos órgãos e das entidades da Administração Pública Estadual Direta e Indireta. “Com isso, todos os órgãos estaduais devem criar suas comissões para inspecionar esses locais, eliminando condições para a proliferação do mosquito”, comemora Suzana.

Em relação às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, o Boletim Epidemiológico informa que, nesse período, foi confirmado 1 caso de dengue, de uma pessoa residente no município de São Miguel do Oeste, que está aguardando definição do Local Provável de Infecção (LPI); e 1 caso de febre de chikungunya, em um residente no município de Florianópolis que adquiriu a doença em outro estado (Pará). No mesmo período do ano passado, haviam sido confirmados 1.337 casos de dengue em Santa Catarina. “Felizmente, registramos uma grande redução na notificação de casos da doença, mas temos de nos manter vigilantes, pois as condições são favoráveis para acontecer transmissão, diante de tantos focos identificados”, complementa João Fuck, coordenador do programa de controle da dengue em Santa Catarina.

 

Municípios infestados

Atualmente, existem 53 municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti em Santa Catarina (a definição de infestação é realizada de acordo com a disseminação e manutenção dos focos). São eles:

 

Águas de Chapecó

Descanso

Nova Itaberaba

São José do Cedro

Anchieta

Florianópolis

Novo Horizonte

São Lourenço do Oeste

Balneário Camboriú

Guaraciaba

Palma Sola

São Miguel do Oeste

Bandeirante

Guarujá do Sul

Palmitos

Santo Amaro da Imperatriz

Bom Jesus

Itajaí

Passo de Torres

Saudades

Caçador

Itapema

Pinhalzinho

Seara

Caibi

Itapiranga

Planalto Alegre

Serra Alta

Camboriú

Ipuaçu

Princesa

Sul Brasil

Campo Erê

Joinville

Porto União

União do Oeste

Catanduvas

Jupiá

Quilombo

Xanxerê

Chapecó

Maravilha

São Bernardino

Xaxim

Coronel Freitas

Modelo

São Carlos

 

Coronel Martins

Navegantes

São Domingos

 

Cunha Porã

Nova Erechim

São José

 

 

Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico n0 05/2017 na íntegra. 


Topo