Vacina contra a febre amarela passa a ser oferecida em dose única

A partir deste mês de abril, a vacina contra a febre amarela passa a ser aplicada em dose única em Santa Catarina e em todo o país, dispensando a dose de reforço. A decisão do Ministério da Saúde, conforme a Nota Informativa 94, de 10 de abril de 2017, atende as orientações da Organização Mundial de Saúde e considera que a imunidade protetora se desenvolve em 30 dias para quase a totalidade das pessoas que receberam a primeira dose. Desta forma, quem já recebeu uma dose da vacina ao longo da sua vida passa a ser considerado imunizado contra a febre amarela.

“É importante lembrar que não há motivo para a busca da vacinação de forma indiscriminada. Devem ser vacinadas apenas as pessoas que residem ou que irão se deslocar para os municípios que integram as Áreas com Recomendação para Vacinação”, reforça a enfermeira Vanessa Vieira da Silva, gerente de imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Santa Catarina (Dive/SC). Devem ser vacinados indivíduos de nove meses a 59 anos de idade que residem nas 162 cidades catarinenses que integram a Área com Recomendação para Vacinação ou que irão se deslocar para algum município do estado ou do país com recomendação, preferencialmente, dez dias antes da viagem. A população acima de 60 anos, assim como as gestantes e as mulheres que estiverem amamentando, deverão ser vacinadas somente após avaliação pelos serviços de saúde.

Clique aqui e leia a Nota Informativa do Ministério da Saúde. 

Febre amarela em Santa Catarina

De janeiro a 11 de abril deste ano, 35 epizootias foram registradas em Santa Catarina, com 38 primatas não humanos (macacos) envolvidos. De acordo com a Gerência de Zoonoses da Dive/SC, houve coleta oportuna de amostras em 18 deles (47,3%). Desses, 7  foram descartados por apresentarem resultado não-reagente e 11 ainda aguardam resultado laboratorial.

No mesmo período, foram notificados 12 casos humanos suspeitos de febre amarela no estado. Desses, 11 foram descartados por apresentarem resultado não-reagente, e 1 aguarda resultado laboratorial. Santa Catarina não registra casos de febre amarela em humanos desde 1966. 

Todos os exames são realizados pelo Instituto Adolfo Lutz/SP, laboratório de referência em febre amarela para Santa Catarina, e os resultados podem levar até 20 dias para serem liberados.

Saiba mais em www.dive.sc.gov.br/febre-amarela


Topo