Equipe da Saúde vai a mais três municípios para intensificar ações no combate ao Aedes aegypti

Nesta quinta-feira, 22, o secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso, esteve com prefeitos e profissionais de saúde dos municípios de Itapema, Balneário Camboriú e Joinville, para atualização das ações de combate ao mosquito Aedes aegypti. Na ocasião foi assinado o Termo de Compromisso para qualificar as ações de combate, alertar sobre o aumento expressivo do número de focos e também buscar a participação efetiva da comunidade na causa. Participaram também dos encontros o superintendente de Vigilância em Saúde, Fábio Gaudenzi, e o diretor de Vigilância Epidemiológica, Eduardo Macário, ambos da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Segundo Vicente Caropreso é necessário redobrar a atenção para esta causa. “Além das ações realizadas pelos profissionais da área, há a necessidade da população fazer a sua parte. É um trabalho simples e direcionado que intensifica o combate ao mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e do Vírus Zika”, completa o secretário.

Em Itapema, a prefeita Nilza Simas afirma que “agora é o momento de uma divulgação muito forte, com apelo à população para que nos ajude na prevenção do Aedes”. Segundo ela, é necessário fazer contratações para aumentar o número de agentes da dengue para prevenção e monitoramento de focos e visitação nas residências. Inclusive, o bairro Meia Praia é um grande desafio devido ao grande número de residências de veranistas tornando mais difícil o acesso aos imóveis.

O prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira, comenta sobre a força tarefa que o município está fazendo. “O clima talvez seja o principal fator. O que fizemos aqui foi envolver várias secretarias para gestão desse caso, pois o aumento de focos no município é grande e totaliza 15% dos casos registrados no estado. Contamos também com a população, que deve contribuir na fiscalização e prevenção dos focos” finaliza Fabrício.

Segundo o superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Fábio Gaudenzi, “a região do litoral sofre a pressão da entrada de turistas e de cargas, apresentando grande risco tanto para a inserção do vetor quanto das doenças transmitidas por ele. Por isso, é importante intensificar a prevenção, pois sem o mosquito não haverá a doença”.

Já o diretor de Vigilância Epidemiológica da SES, Eduardo Macário, afirma que Itapema sempre chamou a atenção pela aglomeração de pessoas e pelo risco de infestação. “Atualmente, a cidade possui 34 mil imóveis em áreas de infestação. O município tem um bom número de imóveis visitados, mas precisa aumentar a produtividade dos agentes de endemias, contratando mais 26 agentes para atender os parâmetros do programa nacional”.

Em Joinville, mais da metade dos focos estão concentrados no bairro Boa Vista, na zona leste da cidade. “Vamos agir com rapidez. Temos duas semanas para trabalhar forte nas escolas e realizar mutirões nas regiões com focos”, garantiu o prefeito de Joinville, Udo Döhler. Ele também determinou a vinculação da sala de situação municipal ao gabinete da prefeitura, para maior controle e acompanhamento das ações.

Para cumprir os parâmetros estabelecidos em portaria pelo Programa Nacional de Combate ao Aedes aegypti, é preciso de um agente para cada mil imóveis em um ciclo de visita que ocorre a cada dois meses. Itapema ainda precisa contratar 26 agentes de controle de endemias, já Balneário Camboriú precisa de 40. Em Joinville o número de agentes está de acordo.

Até o dia 11 de Novembro deste ano, foram identificados 9.953 focos do mosquito Aedes aegypti em 142 municípios de Santa Catarina, sendo 322 focos em Itapema, 1.579 em Balneário Camboriú e 243 em Joinville.

 

  

Itapema

 

  

Balneário Camboriú

 

 Joinville


Topo