NOTA À IMPRENSA: SAÚDE CONFIRMA PRIMEIRO CASO IMPORTADO DE FEBRE AMARELA

A Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina (SES/SC), por meio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE) informa que, nesta terça feira (23), foi confirmado o primeiro caso importado de febre amarela em um residente do estado. O diagnóstico laboratorial foi confirmado pela Fundação Oswaldo Cruz do Paraná (Fiocruz/PR), que é o laboratório de referência para SC.

Segundo a investigação epidemiológica conduzida pelas equipes municipal e Regional, a mulher de 57 anos, residente no município de Gaspar, possuía histórico recente de viagem para o município de Mairiporã, Região Metropolitana de São Paulo, e não era vacinada contra a febre amarela. A paciente evoluiu para óbito no último dia 17 de janeiro.

Esse caso reforça a necessidade de todos os que forem se deslocar para áreas com recomendação de vacina, nesse momento principalmente os que estão com transmissão ativa da doença (municípios de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia), devem se vacinar pelo menos 10 dias antes da viagem.

Além disso, a DIVE/SC alerta a necessidade de vacinação da população residente nos 162 municípios catarinenses em área com recomendação de vacina, bem como aqueles que irão se deslocar para estes. As crianças de 9 meses de idade, independente do local de residência, também devem ser vacinadas, conforme calendário nacional de vacinação em vigor em 2018.

 

Situação Epidemiológica

De 1º a 22 de Janeiro de 2018, foram notificados 07 casos suspeitos de febre amarela no estado, dos quais um foi confirmado para a doença e os demais seguem em sob investigação. Todos os casos tiveram deslocamento para áreas com transmissão fora de Santa Catarina.

Os casos acometeram residentes nos municípios de Joinville (01), São José (01), Lages (01) Criciúma (01), Timbó (01). Ao total, 02 casos evoluíram para óbito, um residente em Gaspar e o outro morador de Lajeado Grande. Ambos com histórico de viagens para o estado de São Paulo.

 

Epizootias

De 1º a 22 de Janeiro deste ano, 08 epizootias foram registradas em Santa Catarina, com 08 primatas não humanos (macacos) envolvidos (ainda em investigação). De acordo com a Gerência de Zoonoses da Dive/SC, houve coleta oportuna de amostras em 04 deles, cujos resultados estão sendo aguardados.

Saiba mais em www.dive.sc.gov.br/febre-amarela.


Topo