Saúde realiza monitoramento para avaliar vacinação contra poliomielite e sarampo

Com o objetivo de supervisionar a cobertura das vacinas contra a poliomielite e sarampo no estado, a Secretaria de Estado da Saúde, em conjunto com as Secretarias Municipais de Saúde de Santa Catarina, realiza a partir de fevereiro o Monitoramento Rápido de Cobertura. Recomendada pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a ação consiste na visita de agentes de saúde a domicílios de todo o estado, verificando se a caderneta de vacinação das crianças de até cinco anos (população-alvo das campanhas) está em dia.

Para alinhar as estratégias e a metodologia, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE) realizou na quarta-feira (28) uma videoconferência com as Gerências Regionais de Saúde do estado. Segundo a Gerente de Vigilância de Doenças Imunopreveníveis e Imunização, Vanessa Vieira da Silva, o monitoramento é uma forma eficiente de avaliação da situação vacinal local. “Os resultados são extremamente importantes para auxiliar na tomada de decisão sobre as definições de estratégias de vacinação, visando melhorar as coberturas vacinais e a sua homogeneidade. Além disso, é possível identificar crianças que estão com o esquema vacinal incompleto, podendo receber as vacinas na própria residência”, ressalta.

Para definir o número de casas visitadas, é levada em conta a população-alvo de cada campanha e o número de salas de vacina dos municípios.

Cobertura vacinal

A vacinação contra a poliomielite é realizada em crianças com idade entre seis meses e cinco anos incompletos (quatro anos, 11 meses e 29 dias). Já contra o sarampo, são imunizadas crianças com idade de um ano até cinco anos incompletos (quatro anos, 11 meses e 29 dias). A meta das campanhas, realizadas entre novembro e dezembro de 2014, era alcançar 95% da população-alvo de cada vacina.

Contra o sarampo, foram vacinadas 316.901 crianças em Santa Catarina, o equivalente a 95,09% do total almejado (333.258). Oito regiões registraram cobertura abaixo da meta: Rio do Sul (83,4%), Grande Florianópolis (88,6%), Lages (90,2%), Itajaí (93,1%), Xanxerê (93,7%), Mafra (93,7%), Joinville (94,5%) e Joaçaba (94,6%).

No estado, foram imunizadas 364.652 crianças contra a poliomielite, o que corresponde a 96,5% do público-alvo da campanha (377.717). Seis regiões ficaram abaixo da meta: Rio do Sul (87,7%), Lages (90,1%), Itajaí (93,6%), Joinville (94,1%), Grande Florianópolis (94,1%) e Mafra (94,9%).

Casos das doenças no Brasil e no Mundo

Desde 1990, não há casos de poliomielite no Brasil, mas há registros da doença na Ásia Central, Oriente Médio e África Central. Em 2014, foram registrados 356 casos de poliomielite no mundo. Em relação ao sarampo, foram registrados 670 casos em 2013 e 2014, com maior concentração em Pernambuco e Ceará.


Topo