Dive/SC realiza videoconferência sobre mobilização nacional contra o Aedes aegypti

 A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC) e a Defesa Civil estadual realizaram uma videoconferência na capital, nesta segunda-feira (12), para alertar profissionais da saúde de todos os municípios sobre a importância da eliminação dos criadouros do mosquito Aedes aegypti.
 
O objetivo do encontro foi sugerir ações de prevenção para a Semana de Mobilização Nacional de controle ao Aedes aegypti, que vai acontecer entre os dias 26 e 30 de novembro em todo o país. Além de apresentar os últimos dados das três doenças transmitidas pelo mosquito: dengue, zika vírus e febre de chikungunya.
 
O coordenador da Sala de Situação estadual para o controle ao Aedes aegypti, João Fuck, conduziu a apresentação alertando que a prevenção é responsabilidade de todos, uma vez que locais com água parada são perfeitos para reprodução do mosquito. “As condições climáticas contribuem para o aumento do número de focos no verão. Combinações como chuvas seguidas de altas temperaturas são ideias para que haja proliferação do mosquito”, afirma.
 
A videoconferência foi transmitida para 19 Centros de Gerenciamentos de Riscos e Desastres (CIGERDs) do estado. Ao total, 280 pessoas participaram, entre eles profissionais que atuam nas áreas de Vigilância Epidemiológica, Vigilância Sanitária, Atenção Básica, Educação e Defesa Civil. 
 
Perfil
O estado vem passando por uma mudança de perfil relacionado à presença do Aedes aegypti e à transmissão das doenças. A infestação atual de SC é a maior já registrada: 75 municípios são considerados infestados pelo mosquito.

Topo